Tuesday, September 04, 2007

Álbum em revista


Tchin tchin- Denny O.G.

Depois do grande sucesso do seu primeiro trabalho a solo Até que a morte nos separe, q acabou sendo um dos álbuns mais vendidos de 2004/5, Danny O.G. regressa para celebrar esse sucesso com Tchin tchin, gravado pela e para a Bang Entretenimento e com edição da VIDISCO. Denny, conhecido pela forma enérgica como se expressa na sua música, com uma voz inconfundível é dos artistas mais reqisitados da praça no momento. É uma estrela de rádio e TV agora, mas foi um longo caminho até aqi, começando como rapper underground como se diz, onde o amor à camisola é q é. Vou parar por aqi com o historial sobre a trajectória de O.G., pois Hélder Leonel fá-lo quase q integralmente no Intro do álbum, que contendo a mesma energia e vivacidade do primeiro, já não tem o mesmo carácter purista, isto é, Denny aventurou-se p’ra outros estilos como o Reggaeton e/ou Ragga.

Depois do relato de H. Leonel, Denny dá um arranqe forte com Ninguém me vai parar, e começa a festa com vamo’ lá beber, p’ra todos os amantes do copo. O álbum prossegue, ora na direcção do ragga e reggaeton com temas como Hey Ma Remix, A bomba rabentou (o primeiro single do disco) e Minha namorada (o último single), ora na direcção do hip hop com A luta continua, Foge desta me**a, o tema romântico faço tudo o q qiseres em q o “Gangsta-gangsta” baixa a guarda e mostra o seu lado sensível e canta no coro: “faço tudo o q disseres, faço tudo o q qiseres/ só não vou deixar tu dizeres q não me aceitas” .

Um outro tema da classe agá-i-pê, agá-o-pê “digno de referência” é o tema de intervenção Chega, pá em q Denny aponta os podres da nossa sociedade em linhas como: “Nunca tentes ser Siba-Siba/ porq há um atirador q atira (tira)/ e tira (tira) a tua vida num minuto/ com uma bala só deixa mais de mil de luto”. Números p’ra encher não faltaram como os dois interlúdios q o disco contém e outras faixas. Denny O.G. nunca foi na minha opinião, um MC de altas metáforas e “punch lines”, mas isso não o impediu de atingir o estatuto de q hoje goza, aliás nos dias q correm, quanto mais simplistas e insignificantes as rimas, melhor (perguntem o outro MC, ‘cês sabem qem). Agora q o ex-membro da Auto Squad descobriu a fórmula p’ro sucesso (fazer as damas abanarem o bum-bum), nunca mais será o mesmo, porq como ele próprio disse num programa de TV: “ se os próprios americanos mudaram, porq é q eu não? Por isso, vou continuar a fazer os meus Reggaetons, meus Raggas...” 3 Xigovias!

*As melhores: A bomba rabentou, Faço tudo o q qiseres e Minha namorada.

3 comments:

Bosko said...
This comment has been removed by the author.
Bosko said...

O bom deste músico é que continua fazer música de qualidade e o erro foi de não continuar a fazer hiphop. Denny og foi o rapper que mais girou em todas as províncias, convenceu a todos que o hiphop moçambicano é hot.Mas o que fazer,temos de reconhecer,o tchin tchin tem qualidade.

mãos said...

Tchim Tchim a minha maneira...

Tá bater como se diz, ou melhor como digo qdo estou animado, é o jovem do momento.Este jovem é o mensageiro do povo, alias esse é o papel dos artistas, a voz do povo, e ele consegue representar muito bem esse papel...um abraço Denny O.G.

Um abraço